Páginas

domingo, 20 de abril de 2014

Até breve!

Queridos,

"... para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo dos céus." O tempo deste blog parece ter chegado ao fim. Foram quase 4 anos, mais de 95 mil acessos de diversas partes do mundo (não imagino como chegamos tão longe!), centenas de postagens sobre os mais diferentes assuntos e dezenas de amigos verdadeiros que vou levar comigo pelo resto da vida. 

Foi aqui que eu conheci a Adriana Canuto, que hoje é colega de Tribunal e minha amiga, meu amor, meu porto seguro em Brasília. Também foram os posts para os concurseiros que me trouxeram a Rebeka Moura, que tem o abraço mais generoso dessa cidade (e estou aliciando para ser minha vizinha de condomínio). O Alexandre Felipe, meu amigo tão querido... A linda da Lari Bohnenberger, a Helô e a Flávia Bueno, a Bruna M., a Carol, a Nancy, a Lorena, Louis, Sibelle, o Rodrigo, Delta Fox e meus guerreiros da Polícia Federal, o Rafa... enfim... muito obrigada pela companhia de todos durante esse tempo. Meu agradecimento especial aos que me acompanharam durante a batalha por uma vaga no serviço público federal. O caminho teria sido infinitamente mais doloroso sem o apoio e a torcida de vocês. Eu continuo estudando. O Senado ainda me espera e eu não posso demorar muito, não é? 

Há tempos recebi uma proposta de escrever para outros blogs, mas eu não podia aceitar. Eu mal conseguia manter este aqui! É uma responsabilidade gigante receber emails dizendo que você é inspiração para aquela pessoa ou que seu texto mudou o dia de alguém. E eu não estava mais conseguindo fazer isso. Por alguma razão, meus posts não saíam mais tão livremente quanto antes. Talvez tenha sido a ameaça daquele professor. Talvez tenham sido as críticas tão duras e maldosas. Talvez meu coração estivesse preso. 

Aí veio a proposta outra vez. Escrever livremente e sem amarras. Escrever anonimamente! Falar o que eu quiser, sobre o que eu quiser, sem medo do que Fulano ou Beltrano vão pensar. Aqui eu já não tinha essa liberdade. Foram quase 100 mil acessos, não é? Por mais que eu tentasse, minha espontaneidade não era mais a mesma. Agora vou falar sobre amor e sexo, trabalho e concursos, amigos e família, sobre tudo e sobre nada. Pode ser que meus textos se percam na imensidão do mundo virtual, mas é como dizem por ai: "às vezes gritar é pouco. O silêncio também é pouco. Então a gente escreve para misturar os dois."

Muito obrigada, mais uma vez.
Não canso de repetir: vocês são show!
Até qualquer hora!